Importar ou ligar a dados numa base de dados do SQL Server

Importar ou ligar a dados numa base de dados do SQL Server

Pode ligar ou importar dados de uma Base de Dados SQL, que é uma base de dados gerida e de alto desempenho utilizada em aplicações fundamentais. Para obter mais informações, consulte SQL Server 2016.

  • Quando liga aos dados, o Access cria uma ligação bidirecional que sincroniza as alterações aos dados no Access e na Base de Dados SQL.

  • Quando importa dados, o Access cria uma cópia única dos dados, pelo que as alterações aos dados no Access e na Base de Dados SQL não são sincronizadas.

Descrição geral de como ligar o Access ao SQL Server

Antes de começar

Quer tornar o processo mais simples? Faça as seguintes preparações antes de ligar ou importar:

  • Localize o nome do servidor da base de dados do SQL Server, identifique as informações de ligação necessárias e selecione um método de autenticação (Windows ou SQL Server). Para obter mais informações sobre os métodos de autenticação, consulte Ligar ao Servidor (Motor de Base de Dados) e Proteger a sua base de dados.

  • Identifique as tabelas ou vistas que pretende ligar ou importar, bem como os campos com valores exclusivos para tabelas ligadas. Pode ligar ou importar mais do que uma tabela ou vista numa única operação.

  • Tenha em consideração o número de colunas em cada tabela ou vista. O Access não suporta mais de 255 campos numa tabela, pelo que liga ou importa apenas as primeiras 255 colunas. Como solução, pode criar uma vista na Base de Dados do SQL Server para aceder às colunas para além do limite.

  • Determine a quantidade total de dados a serem importados. O tamanho máximo de uma base de dados do Access é 2 GB, menos o espaço necessário para objetos de sistema. Se a base de dados do SQL Server contiver tabelas grandes, poderá não conseguir importá-las para uma única base de dados do Access. Neste caso, pondere ligar aos dados em vez de os importar.

  • Proteja a sua base de dados do Access e as informações de ligação contidas na mesma ao utilizar uma localização de confiança e uma palavra-passe da base de dados do Access. Esta ação é especialmente importante se optar por guardar a palavra-passe do SQL Server no Access.

  • Planeie relações adicionais. O Access não cria automaticamente relações entre tabelas relacionadas no fim de uma operação de importação. Pode criar manualmente as relações entre as tabelas novas e existentes com a janela Relações. Para obter mais informações, consulte O que é a janela Relações? e Criar, editar ou eliminar uma relação.

Fase 1: introdução

  1. Selecione Dados Externos > Nova Origem de Dados > A Partir da Base de Dados > A Partir do SQL Server.

  2. Na caixa de diálogo Obter Dados Externos – Base de Dados ODBC, efetue um dos seguintes procedimentos:

    • Para importar dados, selecione Importar os dados de origem para uma nova tabela da base de dados atual.

    • Para ligar aos dados, selecione Ligar à origem de dados criando uma tabela ligada.

  3. Selecione OK.

Fase 2: criar ou reutilizar um ficheiro DSN

Pode criar um ficheiro DSN ou reutilizar um existente. Utilize um ficheiro DSN quando quiser depender das mesmas informações de ligação para diferentes operações de importação e ligação, ou para partilhar com uma aplicação diferente que também utilize ficheiros DSN. Pode criar um ficheiro DSN diretamente ao utilizar o Gestor de Ligação de Dados. Para obter mais informações, consulte Administrar origens de dados ODBC.

Apesar de ainda poder utilizar as versões anteriores do ODBC Driver for SQL, recomendamos que utilize a versão 13.1, que tem várias melhorias e suporta novas funcionalidades do SQL Server 2016. Para obter mais informações, consulte Microsoft ODBC Driver for SQL Server no Windows.

  1. Efetue um dos seguintes procedimentos:

    • Se o ficheiro DSN que pretende utilizar já existir, selecione-o a partir da lista.

      Caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados

      Dependendo do método de autenticação que introduziu nas informações de ligação, poderá ter de introduzir uma palavra-passe novamente.

    • Para criar um novo ficheiro DSN:

      1. Selecione Nova.

        Caixa de diálogo Criar Nova Origem de Dados
      2. Selecione ODBC Driver 13 for SQL Server e, em seguida, selecione Seguinte.

      3. Introduza um nome para o ficheiro DSN ou clique em Procurar para criar o ficheiro numa localização diferente.

  2. Clique em Seguinte para rever as informações de resumo e, em seguida, clique em Concluir.

Fase 3: utilizar o assistente Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server

No assistente Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server, faça o seguinte:

  1. Na página um, introduza as informações de identificação:

    • Na caixa Descrição, opcionalmente, introduza informação documental sobre o ficheiro DSN.

    • Na caixa Servidor, introduza o nome do SQL Server. Não clique na seta para baixo.

  2. Na página dois, selecione um dos seguintes métodos de autenticação:

    • Com autenticação integrada do Windows    Ligue através de uma conta de utilizador do Windows. Opcionalmente, introduza um Nome do Principal do Serviço (SPN). Para obter mais informações, consulte Nomes do Principal do Serviço (SPNs) nas Ligações de Cliente (ODBC).

    • Com a autenticação do SQL Server...   Ligue-se com as credenciais que foram configuradas na base de dados ao introduzir o ID de início de sessão e a palavra-passe.

  3. Nas páginas três e quatro, selecione várias opções para personalizar a sua ligação. Para obter mais informações sobre estas opções, consulte Microsoft ODBC Driver for SQL Server.

  4. É apresentado um ecrã para confirmar as definições. Selecione Origem de Dados de Teste para confirmar a sua ligação.

  5. Poderá ter de iniciar sessão na base de dados. Na caixa de diálogo Início de Sessão no SQL Server, introduza o ID de início de sessão e a palavra-passe. Para alterar definições adicionais, selecione Opções.

Fase 4: selecionar tabelas e vistas para ligar ou importar

  1. Na caixa de diálogo Ligar Tabelas ou Importar Objetos, em Tabelas, selecione cada tabela ou vista que pretende ligar ou importar e, em seguida, clique em OK.

    Lista de tabelas para ligar ou importar
  2. Numa operação de ligação, decida se quer selecionar Guardar Palavra-passe.

    Segurança    Selecionar esta opção elimina a necessidade de introduzir credenciais sempre que abre o Access e acede aos dados. No entanto, esta ação armazena uma palavra-passe não encriptada na base de dados do Access, o que significa que as pessoas que podem aceder aos conteúdos de origem podem ver o nome de utilizador e palavra-passe. Se selecionar esta opção, recomendamos vivamente que armazene a base de dados do Access numa localização de confiança e crie uma palavra-passe da base de dados do Access. Para obter mais informações, consulte Decidir se deve confiar numa base de dados e Encriptar uma base de dados utilizando uma palavra-passe de base de dados.

    Nota    Se optar por não guardar a palavra-passe e, em seguida, mudar de ideias, tem de eliminar e voltar a criar a tabela ligada e, em seguida, selecione Guardar palavra-passe.

Fase 5: criar especificações e tarefas (apenas Importar)

Resultados

Quando uma operação de importação ou ligação é concluída, as tabelas são apresentadas no Painel de Navegação com o mesmo nome que a tabela ou vista do SQL Server em conjunto com o nome do proprietário. Por exemplo, se o nome de SQL for dbo.Produto, o nome de acesso será dbo_Produto. Se esse nome já estiver em utilização, o Access acrescentará "1" ao novo nome da tabela, por exemplo, dbo_Produto1. Se dbo_Produto1 já estiver em utilização, o Access irá criar dbo_Produto2 e por aí adiante. No entanto, pode mudar o nome das tabelas para algo mais significativo.

Numa operação de importação, o Access nunca substitui uma tabela na base de dados. Embora não possa acrescentar diretamente os dados do SQL Server a uma tabela existente, pode criar uma consulta de acréscimo para acrescentar dados após importar dados de tabelas semelhantes.

Numa operação de ligação, se as colunas forem só de leitura numa tabela do SQL Server, também serão só de leitura no Access.

Sugestão    Para ver a cadeia de ligação, paire com o cursor sobre a tabela no painel de navegação do Access.

Atualizar a estrutura da tabela ligada

Não pode adicionar, eliminar ou modificar colunas ou alterar tipos de dados numa tabela ligada. Se quiser fazer alterações de estrutura, pode fazê-lo na base de dados do SQL Server. Para ver as alterações de estrutura no Access, atualize as tabelas ligadas:

  1. Selecione Dados Externos > Gestor de Tabelas Ligadas.

  2. Selecione cada tabela ligada que pretende atualizar, selecione OK e, em seguida, selecione Fechar.

Comparar tipos de dados

Os tipos de dados do Access têm um nome diferente dos tipos de dados do SQL Server. Por exemplo, uma coluna do SQL Server do tipo de dados de bits é importada ou ligada ao Access com o tipo de dados Sim/Não. Para obter mais informações, consulte comparar tipos de dados do Access e do SQL Server.

Pode trabalhar com dados armazenados no SQL Server ligando-se ao mesmo ou importando os dados para uma base de dados do Access. A ligação poderá ser a melhor opção se partilhar os dados com outras pessoas, já que os dados são armazenados numa localização central e assim poderá visualizar os dados mais atuais, adicionar ou editar os dados e executar consultas ou relatórios no Access.

Passo 1: Preparar a ligação

  1. Localize a base de dados do SQL Server pretende ligar. Se necessário, contacte o administrador da base de dados para obter informações de ligação.

  2. Identifique as tabelas e vistas que pretende ligar à base de dados SQL. Pode ligar a vários objetos de uma vez.

Reveja os dados de origem e tenha em consideração o seguinte:

  • O Access suporta até 255 campos (colunas) numa tabela e, como tal, a tabela ligada irá incluir apenas os primeiros 255 campos do objeto ao qual está a ligar.

  • As colunas que forem só de leitura numa tabela do SQL Server irão continuar a sê-lo no Access.

  1. Para criar a tabela ligada numa base de dados nova: clique em Ficheiro > Novo > Base de dados de ambiente de trabalho em branco. Se está a ponderar criar as tabelas ligadas numa base de dados do Access já existente, assegure-se de que possui as permissões necessárias para adicionar dados à base de dados.

    Nota: Uma tabela ligada criada numa base de dados do Access já existente fica com o mesmo nome do objeto de origem. Se já tiver outra tabela com o mesmo nome, será adicionado o número "1" ao nome da nova tabela ligada - por exemplo, Contactos1. (Se Contactos1 também já estiver a ser utilizado, o Access irá criar Contactos2 e assim sucessivamente.)

Passo 2: Ligar aos dados

Ao ligar a uma tabela ou vista numa base de dados do SQL Server, o Access cria uma nova tabela (conhecida como tabela ligada) que reflete a estrutura e o conteúdo da tabela de origem. Pode alterar os dados no SQL Server ou na vista de folha de dados ou vista de formulário a partir do Access e as alterações são refletidas no SQL e no Access. Quaisquer alterações estruturais a tabelas ligadas, como a remoção ou alteração de colunas, têm de ser efetuadas a partir do SQL Server e não do Access.

  1. Abra a base de dados de destino do Access.

  2. No separador Dados Externos, clique em Base de Dados ODBC.

  3. Clique em Ligar à origem de dados criando uma tabela ligada > OK e siga os passos do assistente. Na caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados; se o ficheiro .dsn que quer utilizar já existir, clique no ficheiro na lista.

    Para criar um novo ficheiro .dsn:

    Na caixa Selecionar Origem de Dados, clique em Novo> SQL Server> Seguinte.

    1. Escreva um nome para o ficheiro .dsn ou clique em Procurar.

      Nota: Tem de ter permissões de escrita na pasta para guardar o ficheiro .dsn.

    2. Clique em Seguinte para rever as informações de resumo e clique em Concluir.

      Siga os passos do assistente para Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server.

  4. Clique em OK e em Tabelas, clique em cada tabela ou visualize a tabela a que quer ligar e, em seguida, clique emOK.

Se a caixa de diálogo Selecionar Identificador Exclusivo do Registo for apresentada, significa que o Access não conseguiu determinar o campo ou campos que identificam exclusivamente cada linha de dados de origem. Neste caso, selecione o campo ou combinação de campos que seja exclusivo para cada linha e se tiver dúvidas, consulte o administrador da base de dados do SQL Server.

Quando a operação de ligação estiver terminada poderá ver as novas tabelas ligadas na Painel de Navegação.

Aplicar a estrutura mais recente de objetos SQL Server

Sempre que abrir uma tabela ligada ou o objeto de origem, estes irão apresentar os dados mais recentes. Contudo, se forem efetuadas alterações estruturais a um objeto SQL Server será necessário atualizar as tabelas ligadas para visualizar essas alterações.

  1. Clique com o botão direito do rato na tabela no Painel de Navegação e, em seguida, clique em Gestor de Tabelas Ligadas no menu de atalho.

  2. Selecione a caixa de verificação junto a cada tabela ligada que pretende atualizar, ou clique em Selecionar Tudo para selecionar todas as tabelas ligadas.

  3. Clique em OK > Fechar.

Nota: Uma vez que os tipos de dados do Access diferem dos tipos de dados do SQL Server, o Access liga ao tipo de dados mais apropriados de cada coluna. No Access apenas poderá rever os tipos de dados atribuídos, não os poderá alterar.

Para obter mais informações, consulte Formas de partilhar uma base de dados de ambiente de trabalho do Access.

Início da Página

Se o seu departamento ou grupo de trabalho utilizar o Microsoft SQL Server para armazenar dados, poderá ter de trabalhar com alguns dados do SQL Server no Access.

Pode transferir dados de objetos SQL Server (tabelas ou vistas) para o Access de duas formas diferentes – importando-os ou ligando-os. A diferença entre os dois processos é a seguinte:

  • Ao importar os dados, o Access cria uma cópia dos dados do SQL Server e quaisquer alterações posteriores efetuadas aos dados na sua base de dados do Access não serão refletidas na base de dados do SQL Server. Da mesma forma, quaisquer alterações posteriores efetuadas na tabela ou vista do SQL Server não serão refletidas no Access.

  • Ao estabelecer ligação aos dados do SQL Server, está a ligar-se diretamente aos dados de origem, pelo que quaisquer alterações posteriores efetuadas aos dados no Access serão refletidas no SQL Server e vice-versa.

Este artigo descreve como importar ou ligar a dados do SQL Server.

Decidir entre importar ou ligar

Situações em que é adequado importar

Normalmente, importa dados do SQL Server para uma base de dados do Access pelos seguintes motivos:

  • Para mover permanentemente dados do SQL Server para uma base de dados do Access, uma vez que já não precisa dos dados na base de dados do SQL Server. Depois de importar os dados para o Access, pode eliminar os dados da base de dados do SQL Server.

  • O seu departamento ou grupo de trabalho utiliza o Access, mas ocasionalmente recorre a uma base de dados do SQL Server para obter dados adicionais que têm de ser intercalados numa das suas bases de dados do Access.

Uma vez que a importação de dados do SQL Server cria uma cópia dos dados na sua base de dados do Access, durante o processo de importação irá especificar as tabelas ou as vistas que pretende copiar.

Situações em que é adequado ligar

Normalmente, estabelece ligação a dados do SQL Server pelos seguintes motivos:

  • Para ligar diretamente aos dados de origem, para ver e editar as informações mais recentes na base de dados do SQL Server e na sua base de dados do Access.

  • A base de dados do SQL Server contém várias tabelas grandes e não consegue importá-las todas para um único ficheiro .accdb. O tamanho máximo de uma base de dados do Access é 2 GB, menos o espaço necessário para objetos de sistema.

  • Quer executar consultas e gerar relatórios com base nos dados do SQL Server, sem fazer uma cópia dos dados, pelo que irá considerar ligar ao SQL Server.

  • O seu departamento ou grupo de trabalho utiliza o Access para a elaboração de relatórios e consultas e recorre ao SQL Server para o armazenamento de dados. As equipas individuais podem criar tabelas e vistas do SQL Server para armazenamento centralizado, mas muitas vezes estes dados têm de ser transferidos para programas de ambiente de trabalho, para agregação e elaboração de relatórios. A ligação é a escolha indicada porque permite aos utilizadores da base de dados do SQL Server e da base de dados do Access adicionar e atualizar os dados, bem como ver e trabalhar sempre com os dados mais recentes.

  • É um utilizador do Access que começou a utilizar o SQL Server recentemente. Migrou várias das suas bases de dados para o SQL Server e a maioria das tabelas nestas bases de dados são tabelas ligadas. A partir de agora, em vez de criar tabelas do Access, irá criar tabelas e vistas no SQL Server e, em seguida, ligará às mesmas a partir das suas bases de dados do Access.

  • Quer continuar a armazenar os seus dados no SQL Server, mas também quer trabalhar com os dados mais recentes no Access para executar consultas e imprimir relatórios concebidos no Access.

Início da Página

Importar dados do SQL Server

Preparar a importação

Durante a operação de importação, o Access cria uma tabela e, em seguida, copia os dados da base de dados do SQL Server para essa tabela. No final da operação de importação, pode optar por guardar os detalhes da operação de importação como uma especificação.

Nota: Uma especificação de importação ajuda-o a repetir a operação de importação no futuro, sem precisar de aceder ao Assistente de Importação cada vez que o fizer.

  1. Localize a base de dados do SQL Server que contém os dados que pretende importar. Contacte o administrador da base de dados para obter informações de ligação.

  2. Identifique as tabelas ou as vistas que pretende importar. Pode importar múltiplos objetos numa única operação de importação.

  3. Reveja os dados de origem e tenha em consideração o seguinte:

    • O Access não suporta mais de 255 campos numa tabela, pelo que o Access importa apenas as primeiras 255 colunas.

    • O tamanho máximo de uma base de dados do Access é 2 GB, menos o espaço necessário para objetos de sistema. Se a base de dados do SQL Server contiver muitas tabelas grandes, poderá não conseguir importá-las para um único ficheiro .accdb. Neste caso, em alternativa, aconselhamos a ligar aos dados da sua base de dados do Access.

    • O Access não cria automaticamente relações entre tabelas relacionadas no fim de uma operação de importação. Tem de criar manualmente as relações entre as várias tabelas novas e existentes com as opções da janela Relações. Para apresentar a janela Relações:

      • Clique em Ferramentas da Base de Dados > Relações.

  4. Identifique a base de dados do Access para a qual pretende importar os dados do SQL Server.

    Certifique-se de que tem as permissões necessárias para adicionar dados à base de dados do Access. Se não quiser armazenar os dados em nenhuma das bases de dados existentes, crie uma nova base de dados em branco.

  5. Reveja as tabelas, se existirem, na base de dados do Access.

    A operação de importação cria uma tabela com o mesmo nome do objeto SQL Server. Se esse nome já estiver a ser utilizado, o Access acrescenta "1" ao novo nome da tabela, como, por exemplo, Contactos1. (Se Contactos1 já estiver a ser utilizado, o Access irá criar o nome Contactos2 e assim sucessivamente.)

    Nota: O Access nunca substitui uma tabela na base de dados como parte de uma operação de importação e não pode acrescentar dados do SQL Server a uma tabela existente.

Importar os dados

  1. Abra a base de dados de destino.

    No separador Dados Externos, no grupo Importar e Ligar, clique em Base de Dados ODBC.

  2. Clique em Importar os dados de origem para uma nova tabela da base de dados atual e, em seguida, clique em OK.

  3. Na caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados, se o ficheiro .dsn que pretende utilizar já existir, clique no ficheiro na lista.

    Preciso de criar um novo ficheiro .dsn

    Nota: Os passos deste procedimento podem variar ligeiramente, dependendo do software instalado no seu computador.

    1. Clique em Novo para criar um novo nome da origem de dados (DSN).

      O Assistente Criar Nova Origem de Dados é iniciado.

    2. No assistente, selecione SQL Server na lista de controladores e clique em Seguinte.

    3. Escreva um nome para o ficheiro .dsn ou clique em Procurar para guardar o ficheiro numa localização diferente.

      Nota: Tem de ter permissões de escrita na pasta para guardar o ficheiro .dsn.

    4. Clique em Seguinte, reveja as informações de resumo e, em seguida, clique em Concluir para concluir o assistente.

      A caixa de diálogo Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server é apresentada.

    5. Escreva uma descrição da origem de dados na caixa Descrição. Este passo é opcional.

    6. Em Qual o servidor de SQL a que pretende ligar, na caixa Servidor, escreva ou selecione o nome do SQL Server ao qual pretende ligar e clique em Seguinte para continuar.

    7. Poderá necessitar de informações do administrador da base de dados do SQL Server, tais como, se deve utilizar a autenticação do Microsoft Windows NT ou a autenticação do SQL Server. Clique em Seguinte para continuar.

    8. Se quiser ligar a uma base de dados específica, certifique-se de que a caixa de verificação Alterar a base de dados predefinida para está selecionada. Em seguida, selecione a base de dados onde pretende trabalhar e clique em Seguinte.

    9. Clique em Concluir.

    10. Reveja as informações de resumo e clique emTestar Origem de Dados.

    11. Reveja os resultados do teste e, em seguida, clique em OK para fechar a caixa de diálogo.

      Se o teste tiver sido efetuado com êxito, clique novamente em OK ou em Cancelar para alterar as definições.

  4. Clique em OK para fechar a caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados.

    O Access apresentará a caixa de diálogo Importar Objetos.

  5. Em Tabelas, clique em cada tabela ou visualize a tabela que pretende importar e, em seguida, clique em OK.

  6. Se a caixa de diálogo Selecionar Identificador Exclusivo do Registo for apresentada, isso significa que o Access não conseguiu determinar o campo ou campos que identificam exclusivamente cada linha de um determinado objeto. Neste caso, selecione o campo ou combinação de campos que seja exclusivo para cada linha e, em seguida, clique em OK. Se tiver dúvidas, consulte o administrador da base de dados do SQL Server.

    O Access importará os dados. Se quiser repetir a operação de importação mais tarde, pode guardar os passos da importação como uma especificação de importação e voltar a executar facilmente os mesmos passos da importação mais tarde. Tem de ter o Microsoft Office Outlook instalado no seu computador para criar uma tarefa.

  7. Clique em Fechar, em Guardar Passos de Importação na caixa de diálogo Obter Dados Externos – Base de Dados ODBC. O Access concluirá a operação de importação e apresentará a nova tabela ou tabelas no Painel de Navegação.

Se quiser guardar a importação como uma tarefa para reutilização, avance para a secção seguinte.

Início da Página

Ligar a dados do SQL Server

Uma vez que os dados são armazenados em tabelas, quando liga a uma tabela ou vista numa base de dados do SQL Server, o Access cria uma nova tabela (frequentemente conhecida como uma tabela ligada) que reflete a estrutura e o conteúdo do objeto de origem. Pode alterar dados no SQL Server, na vista de Folha de Dados ou na vista Formulário no Access. As alterações que efetua aos dados numa localização são refletidas na outra. No entanto, se quiser efetuar alterações estruturais, tais como remover ou alterar uma coluna, tem de o fazer na base de dados do SQL Server ou num projeto do Access ligado a essa base de dados. Não pode adicionar, eliminar ou alterar os campos numa tabela ligada enquanto trabalha no Access.

Preparar a ligação

  1. Localize a base de dados do SQL Server que tem os dados aos quais pretende ligar. Contacte o administrador da base de dados para obter informações de ligação.

  2. Identifique as tabelas e as vistas às quais pretende ligar. Pode ligar a múltiplos objetos numa única operação de ligação.

  3. Reveja os dados de origem e tenha em consideração o seguinte:

    • O Access não suporta mais de 255 campos numa tabela e, como tal, a tabela ligada irá incluir apenas os primeiros 255 campos do objeto ao qual está a ligar.

    • As colunas que forem só de leitura num objeto SQL Server irão continuar a sê-lo no Access.

    • Não poderá adicionar, eliminar ou modificar colunas numa tabela ligada no Access.

  4. Identifique a base de dados do Access na qual pretende criar as tabelas ligadas. Certifique-se de que tem as permissões necessárias para adicionar dados à base de dados. Se não quiser guardar os dados em nenhuma das bases de dados existentes, crie uma nova base de dados em branco ao clicar no separador Ficheiro e, em seguida, no separador Novo, em Base de Dados em Branco.

  5. Reveja as tabelas na base de dados do Access. Ao ligar a uma tabela ou vista do SQL Server, o Access cria uma tabela ligada com o mesmo nome do objeto de origem. Se esse nome já estiver a ser utilizado, o Access irá acrescentar "1" ao novo nome da tabela ligada, por exemplo: Contactos1. (Se Contactos1 já estiver a ser utilizado, o Access irá criar o nome Contactos2 e assim sucessivamente.)

  6. Para ligar aos dados, abra a base de dados de destino.

  7. No separador Dados Externos, no grupo Importar e Ligar, clique em Base de Dados ODBC.

  8. Clique em Ligar à origem de dados criando uma tabela ligada e, em seguida, clique em OK.

  9. Na caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados, clique no ficheiro .dsn que pretende utilizar ou clique em Novo para criar um novo nome da origem de dados (DSN).

  10. Na caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados, se o ficheiro .dsn que pretende utilizar já existir, clique no ficheiro na lista.

    Preciso de criar um novo ficheiro .dsn

    Nota: Os passos deste procedimento podem variar ligeiramente, dependendo do software instalado no seu computador.

    1. Clique em Novo para criar um novo nome da origem de dados (DSN).

      O Assistente Criar Nova Origem de Dados é iniciado.

    2. No assistente, selecione SQL Server na lista de controladores e clique em Seguinte.

    3. Escreva um nome para o ficheiro .dsn ou clique em Procurar para guardar o ficheiro numa localização diferente.

      Nota: Tem de ter permissões de escrita na pasta para guardar o ficheiro .dsn.

    4. Clique em Seguinte, reveja as informações de resumo e, em seguida, clique em Concluir para concluir o Assistente Criar Nova Origem de Dados.

      O Assistente Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server é iniciado.

    5. No assistente, escreva uma descrição da origem de dados na caixa Descrição. Este passo é opcional.

    6. Em Qual o servidor de SQL a que pretende ligar, na caixa Servidor, escreva ou selecione o nome do computador com SQL Server ao qual pretende ligar e clique em Seguinte para continuar.

    7. Nesta página do assistente, poderá necessitar de obter informações do administrador da base de dados do SQL Server, por exemplo, se deve utilizar a autenticação do Windows NT ou a autenticação do SQL Server. Clique em Seguinte para continuar.

    8. Na página seguinte do assistente, poderá necessitar de obter mais informações do administrador da base de dados do SQL Server. Se quiser ligar a uma base de dados específica, certifique-se de que a caixa de verificação Alterar a base de dados predefinida para está selecionada, selecione a base de dados do SQL Server onde quer trabalhar e clique em Seguinte.

    9. Clique em Concluir. Reveja as informações de resumo e, em seguida, clique emTestar Origem de Dados.

    10. Reveja os resultados do teste e, em seguida, clique em OK para fechar a caixa de diálogo Teste da Origem de Dados ODBC do SQL Server.

      Se o teste tiver sido efetuado com êxito, clique novamente em OK para concluir o assistente ou em Cancelar para voltar ao assistente e alterar as definições.

  11. Clique em OK.

    O Access apresenta a caixa de diálogo Ligar Tabelas.

  12. Em Tabelas, clique em cada tabela ou visualize a tabela a que pretende ligar e, em seguida, clique emOK.

    1. Se a caixa de diálogo Selecionar Identificador Exclusivo do Registo for apresentada, isso significa que o Access não conseguiu determinar o campo ou campos que identificam exclusivamente cada linha dos dados de origem. Neste caso, selecione o campo ou combinação de campos que seja exclusivo para cada linha e, em seguida, clique em OK. Se tiver dúvidas, consulte o administrador da base de dados do SQL Server.

O Access concluirá a operação de ligação e apresentará a nova tabela ou tabelas ligadas no Painel de Navegação.

Importante: Cada vez que abrir uma tabela ligada ou o objeto de origem, verá os dados mais recentes apresentados nos mesmos. No entanto, as alterações estruturais feitas a um objeto SQL Server não são refletidas automaticamente numa tabela ligada.

Atualizar uma tabela ligada ao aplicar a estrutura de objetos SQL Server mais recente

  1. Clique com o botão direito do rato na tabela no Painel de Navegação e, em seguida, clique em Gestor de Tabelas Ligadas no menu de atalho.

  2. Selecione a caixa de verificação junto a cada tabela ligada que pretende atualizar, ou clique em Selecionar Tudo para selecionar todas as tabelas ligadas.

  3. Clique em OK.

    Se a atualização for efetuada com êxito, o Access apresenta uma mensagem para esse efeito. Caso contrário, o Access apresenta uma mensagem de erro.

  4. Clique em Fechar para fechar o Gestor de Tabelas Ligadas.

Início da Página

O que mais devo saber?

Início da Página

Como o Access interpreta os tipos de dados do SQL Server

Uma vez que os tipos de dados do Access diferem dos tipos de dados do SQL Server, o Access tem de determinar o tipo de dados do Access mais adequado a utilizar para cada coluna de cada tabela ou vista do SQL Server que importar ou à qual ligar. Por exemplo, uma coluna do SQL Server do tipo de dados bits é importada ou ligada ao Access com o tipo de dados Sim/Não. Outro exemplo: uma coluna do SQL Server do tipo de dados nvarchar(255) (ou inferior) é importada ou ligada com o tipo de dados Texto, mas uma coluna do tipo de dados nvarchar(256) (ou superior) é importada como um campo Memorando do Access. Depois de concluir uma operação de importação ou ligação, pode abrir a tabela na vista Estrutura e confirmar que tipos de dados o Access atribuiu aos respetivos campos. Pode alterar os tipos de dados de campos em tabelas importadas. No entanto, não pode alterar os tipos de dados de campos em tabelas ligadas, exceto se os alterar na própria base de dados do SQL Server ou num projeto do Access ligado a essa base de dados.

A tabela seguinte apresenta os principais tipos de dados do SQL Server. As segunda e terceira colunas mostram como o Access interpreta cada tipo.

Tipo de dados do SQL Server

Tipo de dados do Access

Tamanho do campo do Access

bigint

Texto

255

binary( tamanho do campo )

Binário

O mesmo que o tamanho do campo do SQL Server

bits

Sim/Não

char( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é menor ou igual a 255

Texto

O mesmo que o tamanho do campo do SQL Server

char( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memo

datetime

Data/Hora

decimal ( precisão , escala )

Número

Decimal (as propriedades Precisão e Escala do Access correspondem à precisão e escala do SQL Server.)

flutuante

Número

Duplo

imagem

Objeto OLE

int

Número

Número Inteiro Longo

dinheiro

Moeda

nchar( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é menor ou igual a 255

Texto

O mesmo que o tamanho do campo do SQL Server

nchar( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memo

ntext

Memorando

numeric( precisão , escala )

Número

Decimal (as propriedades Precisão e Escala do Access correspondem à precisão e escala do SQL Server.)

nvarchar( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é menor ou igual a 255

Texto

O mesmo que o tamanho do campo do SQL Server

nvarchar( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memorando

nvarchar(MAX)

Memorando

real

Número

Único

smalldatetime

Data/Hora

smallint

Número

Número Inteiro

smallmoney

Moeda

sql_variant

Texto

255

texto

Memo

carimbo de data/hora

Binário

8

tinyint

Número

Byte

uniqueidentifier

Número

ID de Replicação

varbinary

Binário

O mesmo que o tamanho do campo do SQL Server

varbinary(MAX)

Objeto OLE

varchar( tamanho do campo ), em que o tamanho do campo é menor ou igual a 255

Texto

O mesmo que o tamanho do campo do SQL Server

varchar( tamanho do campo), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memorando

varchar(MAX)

Memo

xml

Memorando

Início da Página

Nota:  Esta página foi traduzida automaticamente e pode conter erros gramaticais ou imprecisões. O nosso objetivo é que estes conteúdos lhe sejam úteis. Pode indicar-nos se estas informações foram úteis? Eis o artigo em inglês para sua referência.​

Aumente os seus conhecimentos do Office
Explore as formações
Seja o primeiro a obter novas funcionalidades
Adira ao Office Insider

As informações foram úteis?

Obrigado pelos seus comentários!

Obrigado pelo seu feedback! Parece que poderá ser benéfico reencaminhá-lo para um dos nossos agentes de suporte do Office.

×