Ligar ou importar dados de uma Base de Dados do Azure SQL Server

Ligar ou importar dados de uma Base de Dados do Azure SQL Server

Pode ligar ou importar dados de uma Base de Dados SQL, que é uma base de dados gerida e de alto desempenho utilizada em aplicações fundamentais. Para obter mais informações, consulte Base de Dados SQL – Base de Dados na Nuvem como um Serviço.

  • Quando liga aos dados, o Access cria uma ligação bidirecional que sincroniza as alterações aos dados no Access e na Base de Dados SQL.

  • Quando importa dados, o Access cria uma cópia única dos dados, pelo que as alterações aos dados no Access e na Base de Dados SQL não são sincronizadas.

Descrição geral de como ligar o Access ao SQL Server

Antes de começar

Fazer preparações básicas

Quer tornar o processo mais simples? Faça as seguintes preparações antes de ligar ou importar:

  • Localize o nome do servidor da base de dados do Azure SQL Server, identifique as informações de ligação necessárias e selecione um método de autenticação (Windows ou SQL Server). Para obter mais informações sobre os quatro métodos de autenticação, consulte Ligar ao Servidor (Motor de Base de Dados) e Proteger a sua base de dados.

  • Identifique as tabelas ou vistas que pretende ligar ou importar, bem como os campos com valores exclusivos para tabelas ligadas. Pode ligar ou importar mais do que uma tabela ou vista numa única operação.

  • Tenha em consideração o número de colunas em cada tabela ou vista. O Access não suporta mais de 255 campos numa tabela, pelo que o Access liga ou importa apenas as primeiras 255 colunas. Como solução, pode criar uma vista na Base de Dados do Azure SQL Server para aceder às colunas para além do limite.

  • Determine a quantidade total de dados a serem importados. O tamanho máximo de uma base de dados do Access é 2 GB, menos o espaço necessário para objetos de sistema. Se a base de dados do Azure SQL Server contiver tabelas grandes, poderá não conseguir importá-las para uma única base de dados do Access. Neste caso, pondere ligar aos dados em vez de os importar.

  • Proteja a sua base de dados do Access e as informações de ligação contidas na mesma ao utilizar uma localização de confiança e uma palavra-passe da base de dados do Access. Esta ação é especialmente importante se optar por guardar a palavra-passe do SQL Server no Access.

  • Planeie relações adicionais. O Access não cria automaticamente relações entre tabelas relacionadas no fim de uma operação de importação. Pode criar manualmente as relações entre as tabelas novas e existentes com a janela Relações. Para obter mais informações, consulte O que é a janela Relações? e Criar, editar ou eliminar uma relação.

Configurar o ambiente do Azure SQL Server

A sua organização poderá já ter uma conta do Microsoft Azure e uma base de dados do Azure SQL Server que pode utilizar. Se não for o caso, pode fazer o seguinte:

  1. Crie uma conta do Azure. Para obter mais informações, consulte Criar a sua conta do Azure gratuita.

  2. Se não tiver acesso fácil a uma base de dados do Azure SQL Server, pode criar a sua própria. Para obter mais informações, consulte Criar uma base de dados SQL do Azure no portal do Azure.

Certifique-se de que retém as informações importantes para que não se esqueça, tal como credenciais e nomes de conta.

Criar uma regra de firewall

Antes de ligar a um servidor de Base de Dados SQL do Microsoft Azure, o administrador da base de dados tem de criar regras de firewall ao nível do servidor. Estas regras especificam o endereço IP público que permite o acesso de cliente ao servidor para cada dispositivo através da firewall do Azure. Na sua organização, verifique que tipo de endereço IP público está a utilizar, estático ou dinâmico:

  • Se o endereço IP público for estático, é consistentemente o mesmo. Pode especificar uma regra de firewall com um único endereço IP público.

  • Se o endereço IP público for dinâmico, poderá mudar ao longo do tempo. Tem de especificar uma regra de firewall com um intervalo de endereços IP públicos. Tenha em atenção que o endereço IP público utilizado pelo seu dispositivo para ligar à Base de Dados SQL do Azure pode ser diferente do endereço IP público apresentado nas definições de configuração de IP público do computador.

Para evitar confusão, recomendamos que utilize os seguintes procedimentos.

  1. Inicie sessão na sua conta do Microsoft Azure e navegue para o portal do Windows Azure.

  2. Na página Bases de Dados SQL do Microsoft Azure, clique na sua base de dados.

  3. No painel de leitura rápida, clique em Gerir os endereços IP permitidos e, em seguida, efetue um dos seguintes procedimentos:

    Criar uma regra de firewall para um único dispositivo    Utilize esta abordagem para testar e desenvolver, ou num ambiente de pequenas empresas, e quando souber que o seu endereço IP público é estático.

    • Na secção Endereços IP Permitidos, selecione Adicionar aos endereços IP permitidos para permitir que o seu endereço IP público aceda à base de dados através da firewall. O portal do Azure apresenta o endereço IP público correto para o dispositivo de cliente acima da secção de nomes de regras.

    Criar uma regra de firewall para um intervalo de Endereços IP Utilize esta abordagem para permitir acesso para vários utilizadores num ambiente no local ou quando souber que o seu endereço IP público é dinâmico. Contacte o seu departamento de TI ou Fornecedor de Internet para obter um bloco de endereços IP públicos.

    1. Em NOME DA REGRA, introduza um nome relevante para a regra.

    2. Em IP INICIAL, introduza o número inicial do endereço IP público do intervalo.

    3. Em IP FINAL, introduza o número final do endereço IP público do intervalo.

Pode demorar até cinco minutos para a regra de firewall entrar em vigor. Para obter mais informações, consulte Regras de firewall da Base de Dados SQL do Azure.

Fase 1: introdução

  1. Selecione Dados Externos > Nova Origem de Dados > A Partir da Base de Dados > A Partir do SQL Server.

  2. Na caixa de diálogo Obter Dados Externos – Base de Dados ODBC, efetue um dos seguintes procedimentos:

    • Para importar dados, selecione Importar os dados de origem para uma nova tabela da base de dados atual.

    • Para ligar aos dados, selecione Ligar à origem de dados criando uma tabela ligada.

  3. Selecione OK.

Fase 2: criar ou reutilizar um ficheiro DSN

Pode criar um ficheiro DSN ou reutilizar um existente. Utilize um ficheiro DSN quando quiser depender das mesmas informações de ligação para diferentes operações de importação e ligação, ou para partilhar com uma aplicação diferente que também utilize ficheiros DSN. Pode criar um ficheiro DSN diretamente ao utilizar o Gestor de Ligação de Dados. Para obter mais informações, consulte Administrar origens de dados ODBC.

Apesar de ainda poder utilizar as versões anteriores do ODBC Driver for SQL, recomendamos que utilize a versão 13.1, que tem várias melhorias e suporta novas funcionalidades do SQL Server 2016. Para obter mais informações, consulte Microsoft ODBC Driver for SQL Server no Windows.

  1. Efetue um dos seguintes procedimentos:

    • Se o ficheiro DSN que pretende utilizar já existir, selecione-o a partir da lista.

      Caixa de diálogo Selecionar Origem de Dados

      Dependendo do método de autenticação que introduziu nas informações de ligação, poderá ter de introduzir uma palavra-passe novamente.

    • Para criar um novo ficheiro DSN:

      1. Selecione Nova.

        Caixa de diálogo Criar Nova Origem de Dados
      2. Selecione ODBC Driver 13 for SQL Server e, em seguida, selecione Seguinte.

      3. Introduza um nome para o ficheiro DSN ou clique em Procurar para criar o ficheiro numa localização diferente.

  2. Clique em Seguinte para rever as informações de resumo e, em seguida, clique em Concluir.

Fase 3: utilizar o assistente Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server

No assistente Criar uma Nova Origem de Dados para o SQL Server, faça o seguinte:

  1. Na página um, introduza as informações de identificação:

    • Na caixa Descrição, opcionalmente, introduza informação documental sobre o ficheiro DSN.

    • Na caixa Servidor, introduza o nome da Base de Dados do Azure SQL Server. Por exemplo, introduza "myAzureDB.database.windows.net". Não clique na seta para baixo.

  2. Na página dois, selecione um dos seguintes métodos de autenticação:

  3. Nas páginas três e quatro, selecione várias opções para personalizar a sua ligação. Para obter mais informações sobre estas opções, consulte Microsoft ODBC Driver for SQL Server.

  4. É apresentado um ecrã para confirmar as definições. Selecione Origem de Dados de Teste para confirmar a sua ligação.

  5. Poderá ter de iniciar sessão na base de dados. Na caixa de diálogo Início de Sessão no SQL Server, introduza o ID de início de sessão e palavra-passe. Para alterar definições adicionais, selecione Opções.

Fase 4: selecionar tabelas e vistas para ligar ou importar

  1. Na caixa de diálogo Ligar Tabelas ou Importar Objetos, em Tabelas, selecione cada tabela ou vista que pretende ligar ou importar e, em seguida, clique em OK.

    Lista de tabelas para ligar ou importar
  2. Numa operação de ligação, decida se quer selecionar Guardar Palavra-passe.

    Segurança    Selecionar esta opção elimina a necessidade de introduzir credenciais sempre que abre o Access e acede aos dados. No entanto, esta ação armazena uma palavra-passe não encriptada na base de dados do Access, o que significa que as pessoas que podem aceder aos conteúdos de origem podem ver o nome de utilizador e palavra-passe. Se selecionar esta opção, recomendamos vivamente que armazene a base de dados do Access numa localização de confiança e crie uma palavra-passe da base de dados do Access. Para obter mais informações, consulte Decidir se deve confiar numa base de dados e Encriptar uma base de dados utilizando uma palavra-passe de base de dados.

    Nota    Se optar por não guardar a palavra-passe e, em seguida, mudar de ideias, tem de eliminar e voltar a criar a tabela ligada e, em seguida, selecione Guardar palavra-passe.

Fase 5: criar especificações e tarefas (apenas Importar)

Resultados

Quando uma operação de importação ou ligação é concluída, as tabelas são apresentadas no Painel de Navegação com o mesmo nome que a tabela ou vista do SQL Server em conjunto com o nome do proprietário. Por exemplo, se o nome de SQL for dbo.Produto, o nome de acesso será dbo_Produto. Se esse nome já estiver em utilização, o Access acrescentará "1" ao novo nome da tabela, por exemplo, dbo_Produto1. Se dbo_Produto1 já estiver em utilização, o Access irá criar dbo_Produto2 e por aí adiante. No entanto, pode mudar o nome das tabelas para algo mais significativo.

Numa operação de importação, o Access nunca substitui uma tabela na base de dados. Embora não possa acrescentar diretamente os dados do SQL Server a uma tabela existente, pode criar uma consulta de acréscimo para acrescentar dados após importar dados de tabelas semelhantes.

Numa operação de ligação, se as colunas forem só de leitura numa tabela do Azure SQL Server, também serão só de leitura no Access.

Sugestão    Para ver a cadeia de ligação, paire com o cursor sobre a tabela no painel de navegação do Access.

Atualizar a estrutura da tabela ligada

Não pode adicionar, eliminar ou modificar colunas ou alterar tipos de dados numa tabela ligada. Se quiser fazer alterações de estrutura, pode fazê-lo na base de dados do Azure SQL Server. Para ver as alterações de estrutura no Access, atualize as tabelas ligadas:

  1. Selecione Dados Externos > Gestor de Tabelas Ligadas.

  2. Selecione cada tabela ligada que pretende atualizar, selecione OK e, em seguida, selecione Fechar.

Comparar tipos de dados

Os tipos de dados do Access têm um nome diferente dos tipos de dados do Azure SQL Server. Por exemplo, uma coluna do Azure SQL Server do tipo de dados de bits é importada ou ligada ao Access com o tipo de dados Sim/Não. Para obter mais informações, consulte comparar tipos de dados do Access e do SQL Server.

Nota:  Esta página foi traduzida automaticamente e pode conter erros gramaticais ou imprecisões. O nosso objetivo é que estes conteúdos lhe sejam úteis. Pode indicar-nos se estas informações foram úteis? Eis o artigo em inglês para sua referência.​

Aumente os seus conhecimentos do Office
Explore as formações
Seja o primeiro a obter novas funcionalidades
Adira ao Office Insider

As informações foram úteis?

Obrigado pelos seus comentários!

Obrigado pelo seu feedback! Parece que poderá ser benéfico reencaminhá-lo para um dos nossos agentes de suporte do Office.

×