Vincular ou importar dados de um banco de dados SQL Server do Azure

Vincular ou importar dados de um banco de dados SQL Server do Azure

Você pode vincular ou importar dados de um banco de dados SQL, que é um banco de dados gerenciado de alto desempenho usado para aplicativos essenciais. Para obter mais informações, confira Banco de dados SQL: banco de dados na nuvem como um serviço.

  • Quando você vincula a dados, o Access cria uma conexão bidirecional que sincroniza as alterações de dados no Access e no banco de dados SQL.

  • Quando você importa dados, o Access cria uma cópia dos dados única, e as alterações de dados no Access ou no banco de dados SQL não são sincronizadas.

Visão geral da conexão do Access ao SQL Server

Antes de começar

Fazer os preparativos básicos

Deseja que as operações ocorram de forma mais tranquila? Então realize os seguintes preparativos antes de vincular ou importar:

  • Localize o nome do servidor do banco de dados SQL Server do Azure, identifique as informações de conexão necessárias e escolha um método de autenticação (Windows ou SQL Server). Para obter mais informações sobre os quatro métodos de autenticação, confira Conectar ao Servidor (mecanismo de banco de dados) e Protegendo seu banco de dados.

  • Identifique as tabelas ou modos de exibição que você deseja vincular ou importar e os campos com valores exclusivos para tabelas vinculadas. Você pode vincular ou importar mais de uma tabela ou modo de exibição em uma única operação.

  • Leve em conta o número de colunas em cada tabela ou modo de exibição. O Access não fornece suporte para mais de 255 campos em uma tabela, portanto, o Access vincula ou importa apenas as 255 primeiras colunas. Como alternativa, você pode criar um modo de exibição no banco de dados SQL Server do Azure para acessar as colunas fora do limite.

  • Determine a quantidade total de dados que está sendo importada. O tamanho máximo de um banco de dados do Access é dois gigabytes menos o espaço necessário para objetos do sistema. Se o banco de dados SQL Server do Azure contiver tabelas grandes, talvez não seja possível importar todas para um único banco de dados do Access. Nesse caso, considere vincular aos dados em vez de importá-los.

  • Proteja seu banco de dados do Access e as informações de conexão que ele contém usando uma senha de banco de dados do Access e um local confiável. Isso será especialmente importante se você optar por salvar a senha do SQL Server no Access.

  • Planeje a criação de relações adicionais. O Access não cria relações automaticamente entre tabelas relacionadas no final de uma operação de importação. É possível criar manualmente as relações entre tabelas novas e existentes usando a janela Relações. Confira mais informações em O que é a janela Relações? e Criar, editar ou excluir uma relação.

Configurar seu ambiente do SQL Server do Azure

Talvez sua organização já tenha uma conta do Microsoft Azure e um banco de dados SQL Server do Azure que você possa usar. Se esse não for o caso, você pode fazer o seguinte:

  1. Crie uma conta do Azure. Confira mais informações em Crie hoje mesmo sua conta gratuita do Azure.

  2. Se você não tiver acesso conveniente a um banco de dados SQL Server do Azure, poderá criar um. Confira mais informações em Criar um banco de dados SQL do Azure no Portal do Azure.

Armazene as informações importantes para não esquecê-las, como credenciais e nomes de conta.

Criar uma regra de firewall

Antes de se conectar a um servidor do Banco de Dados SQL do Microsoft Azure, o administrador do banco de dados precisa criar regras de firewall no nível do servidor. Essas regras especificam o endereço IP (Internet Protocol) público que permite o acesso de cliente ao servidor em cada dispositivo por meio do firewall do Azure. Em sua organização, verifique se o tipo de endereço IP público que você está usando é estático ou dinâmico:

  • Se seu endereço IP público for estático, será consistentemente o mesmo. Você pode especificar uma regra de firewall com um único endereço IP público.

  • Se seu endereço IP público for dinâmico, poderá mudar com o tempo. Você precisa especificar uma regra de firewall com um intervalo de endereços IP públicos. Tenha em mente que o endereço IP público usado pelo seu dispositivo para se conectar ao Banco de Dados SQL do Azure pode ser diferente do endereço IP público mostrado nas configurações de IP público do computador.

Para evitar confusão, é recomendável usar os procedimentos a seguir.

  1. Entre na sua conta do Microsoft Azure e navegue até o Portal do Windows Azure.

  2. Na página Banco de dados SQL do Microsoft Azure, clique em seu banco de dados.

  3. No painel Consulta rápida, clique em Gerenciar endereços IP permitidos e realize um dos seguintes procedimentos:

    Crie uma regra de firewall para um único dispositivo    Use essa abordagem para teste e desenvolvimento ou em um ambiente de pequena empresa e quando você souber que seu endereço IP público é estático.

    • Na seção Endereços IP Permitidos, selecione Adicionar a endereços IP permitidos para possibilitar que seu endereço IP acesse o banco de dados apesar do firewall. O Portal do Azure exibe o endereço IP público correto para o seu dispositivo cliente acima da seção de nomes de regras.

    Crie uma regra de firewall para um intervalo de endereços IP Use essa abordagem para permitir o acesso de vários usuários em um ambiente local ou quando você souber que seu endereço IP público é dinâmico. Entre em contato com o departamento de TI ou seu provedor de Internet para obter um bloco de endereços IP públicos.

    1. Em NOME DA REGRA, insira um nome significativo para a regra.

    2. Em IP INICIAL, insira o número do endereço IP público inicial do intervalo.

    3. Em IP FINAL, insira o número do endereço IP público final do intervalo.

Pode levar até cinco minutos para que a regra de firewall entre em vigor. Confira mais informações em Regras de firewall do Banco de Dados SQL do Azure.

Estágio 1: Introdução

  1. Selecione Dados Externos > Nova Fonte de Dados > Do Banco de Dados > Do SQL Server.

  2. Na caixa de diálogo Obter Dados Externos – Banco de Dados ODBC, siga um destes procedimentos:

    • Para importar dados, selecione Importar os dados de origem para uma nova tabela no banco de dados atual.

    • Para vincular aos dados, selecione Vincular à fonte de dados criando uma tabela vinculada.

  3. Selecione OK.

Estágio 2: Criar ou reutilizar um arquivo DSN

Você pode criar um arquivo DSN ou reutilizar um existente. Use um arquivo DSN quando quiser se basear nas mesmas informações de conexão para diferentes operações de vínculo e importação ou compartilhar com um aplicativo diferente que também usa arquivos DSN. É possível criar um arquivo DSN diretamente, usando o Gerenciador de conexão de dados. Para obter mais informações, confira Administrar fontes de dados ODBC.

Embora ainda seja possível usar as versões anteriores do driver ODBC do SQL, é recomendável usar a versão 13.1, que tem muitos aprimoramentos e é compatível com novos recursos do SQL Server 2016. Confira mais informações em Driver ODBC da Microsoft para SQL Server no Windows.

  1. Siga um destes procedimentos:

    • Se o arquivo DSN que você deseja usar já existir, selecione-o na lista.

      Caixa de diálogo Selecionar Fonte de Dados

      Dependendo do método de autenticação inserido nas informações de conexão, talvez seja necessário inserir uma senha novamente.

    • Para criar um novo arquivo DSN:

      1. Selecione Novo.

        Caixa de diálogo Criar Nova Fonte de Dados
      2. Selecione ODBC Driver 13 para SQL Server, depois selecione Avançar.

      3. Digite um nome para o arquivo DSN ou clique em Procurar para criar o arquivo em um local diferente.

  2. Clique em Avançar para examinar as informações de resumo e clique em Concluir.

Estágio 3: Use o assistente Criar Nova Fonte de Dados para o SQL Server.

No Assistente Criar Nova Fonte de Dados para o SQL Server, faça o seguinte.

  1. Na primeira página, insira informações de identificação:

    • Na caixa Descrição, digite opcionalmente as informações documentais sobre o arquivo DSN.

    • Na caixa Servidor, digite o nome do banco de dados SQL Server do Azure. Por exemplo, digite "myAzureDB.database.windows.net". Não clique na seta para baixo.

  2. Na página dois, selecione um dos seguintes métodos de autenticação:

  3. Nas páginas três e quatro, selecione várias opções para personalizar sua conexão. Confira mais informações em Microsoft ODBC Driver para SQL Server.

  4. Uma tela é exibida para confirmar suas configurações. Selecione Testar fonte de dados para confirmar sua conexão.

  5. Talvez seja necessário efetuar logon no banco de dados. Na caixa de diálogo Logon do SQL Server, digite a ID de logon e a senha. Para alterar as configurações adicionais, selecione Opções.

Estágio 4: Selecione Tabelas para vincular ou importar

  1. Na caixa de diálogo Vincular tabelas ou Importar objetos, em Tabelas, selecione cada tabela ou modo de exibição que você deseja vincular ou importar e, em seguida, clique em OK.

    Lista de tabelas para vincular ou importar
  2. Em uma operação de vinculação, decida se deseja selecionar Salvar Senha.

    Segurança    Selecionar esta opção elimina a necessidade de inserir credenciais sempre que você abrir o Access e acessar os dados. No entanto, isso armazena uma senha não criptografada no banco de dados do Access, ou seja, pessoas que podem acessar os conteúdos de origem podem ver o nome de usuário e a senha. Se você selecionar essa opção, é altamente recomendável armazenar o banco de dados do Access em um local confiável e criar uma senha de banco de dados do Access. Confira mais informações em Decidir se deseja confiar em um banco de dados e Criptografar um banco de dados usando uma senha de banco de dados.

Estágio 5: Criar especificações e tarefas (Importar apenas)

Resultados

Quando uma operação de importação ou vinculação é concluída, as tabelas aparecem no Painel de Navegação com o mesmo nome da tabela ou do modo de exibição do SQL Server combinado com o nome do proprietário. Por exemplo, se o nome do SQL for dbo.Produto, o nome do Access será dbo_Produto. Se esse nome já estiver em uso, o Access acrescentará "1" ao novo nome de tabela, por exemplo, dbo_Produto1. Se dbo_Produto1 já estiver em uso, o Access criará dbo_Produto2 e assim por diante. No entanto, você pode renomear as tabelas para algo mais significativo.

Em uma operação de importação, o Access nunca substitui uma tabela no banco de dados. Embora você não possa anexar diretamente dados do SQL Server a uma tabela existente, pode criar uma consulta acréscimo para anexar dados após ter importado dados de tabelas semelhantes.

Em uma operação de vinculação, se as colunas forem somente leitura em uma tabela do SQL Server do Azure, também serão somente leitura no Access.

Dica    Para ver a cadeia de conexão, passe o mouse sobre a tabela no painel de navegação do Access.

Atualizar o design da tabela vinculada

Não é possível adicionar, excluir ou modificar colunas ou alterar tipos de dados em uma tabela vinculada. Se você quiser fazer alterações no design, faça isso no banco de dados SQL Server do Azure. Para ver as alterações de design no Access, atualize as tabelas vinculadas:

  1. Selecione Dados Externos > Gerenciador de Tabelas Vinculadas.

  2. Selecione cada tabela vinculada que você deseja atualizar, selecione OK e, em seguida, selecione Fechar.

Comparar tipos de dados

Os tipos de dados do Access têm nomes diferentes dos tipos de dados SQL Server do Azure. Por exemplo, uma coluna do SQL Server do Azure do tipo de dados bit é importada ou vinculada no Access com o tipo de dados Sim/Não. A tabela a seguir compara os tipos de dados do Access e do SQL Server do Azure.

Tipo de dados do SQL Server

Tipo de dados do Access

Tamanho de campo do Access

bigint

Número Grande

Confira Como usar o tipo de dados Número Grande.

binário (tamanho do campo)

Binário

Igual ao tamanho do campo do SQL Server

bit

Sim/Não

char (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é inferior ou igual a 255

Texto

Igual ao tamanho do campo do SQL Server

char (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memorando

datetime

Data/Hora

decimal (precisão, escala)

Número

Decimal (as propriedades Precisão e Escala do Access correspondem à precisão e escala do SQL Server).

float

Número

Dupla

image

Objeto OLE

int

Número

Número Inteiro Longo

money

Moeda

nchar (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é inferior ou igual a 255

Texto

Igual ao tamanho do campo do SQL Server

nchar (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memorando

ntext

Memorando

numérico (precisão, escala)

Número

Decimal (as propriedades Precisão e Escala do Access correspondem à precisão e escala do SQL Server).

nvarchar (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é inferior ou igual a 255

Texto

Igual ao tamanho do campo do SQL Server

nvarchar (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memorando

nvarchar(MAX)

Memorando

real

Número

Simples

smalldatetime

Data/Hora

smallint

Número

Inteiro

smallmoney

Moeda

sql_variant

Texto

255

texto

Memorando

timestamp

Binário

8

tinyint

Número

Byte

uniqueidentifier

Número

ID de replicação

varbinary

Binário

Igual ao tamanho do campo do SQL Server

varbinary (MAX)

Objeto OLE

varchar (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é inferior ou igual a 255

Texto

Igual ao tamanho do campo do SQL Server

varchar (tamanho do campo), em que o tamanho do campo é superior a 255

Memorando

varchar(MAX)

Memorando

xml

Memorando

Expanda suas habilidades
Explore o treinamento
Obtenha novos recursos primeiro
Ingressar no Office Insider

Essas informações foram úteis?

Obrigado por seus comentários!

Agradecemos pelos seus comentários! Parece que pode ser útil conectar você a um de nossos agentes de suporte do Office.

×